Orientações Médicas

Clínica de Neurologia Carapicuíba, São Paulo

Clínicas de neurologia em Carapicuíba. Conheça especialistas do segmento em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes.

Jefferson Walter Daniel
Rua Pedro Fioretti 346
Osasco, São Paulo
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Kleber Vieira de Miranda
(11) 3682-1045
R Doutor Antonio Jose Luciano 386
Osasco, São Paulo
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Antonio Barros Carreira
(11) 3685-9352
Rua Pedro Fioretti 346
Osasco, São Paulo
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Paulo Roberto Stabenow
(11) 3681-7565
Rua Pedro Fioretti 346
Osasco, São Paulo
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Marcelo Perocco Luiz da Costa
(11) 3086-4720
R Haddock Lobo 846 - Jardins
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Delboni Auriemo
(11) 3049-6999
Juruá 434
Barueri, São Paulo
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Rafael Jorge Ruman
(11) 3682-6261
R. Da. Primitiva Vianco 631
Osasco, São Paulo
Especialidade
Cirurgia e traumatologia Buco-maxilo-facial

Dados Divulgados por
Delboni Auriemo
Av. Jurua 434
Barueri, São Paulo
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Waldyr Rodrigues dos Santos Junior
Av. Dr. Eneas de Carvalho Aguiar 255
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Neurologia

Dados Divulgados por
Paulo Eduardo Riff
(11) 3505-9000
Rua Maestro Cardim 769
São Paulo, São Paulo
Especialidade
Neurocirurgia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Hiperatividade - Distúrbio de Déficit de Atenção (DDA)

Fornecido por:


Hiperatividade - Distúrbio de Déficit de Atenção (DDA)

O DDA ocorre como resultado de uma disfunção neurológica no córtex pré-frontal. Quando pessoas que têm DDA tentam se concentrar, a atividade do córtex pré-frontal diminui, ao invés de aumentar (como nos sujeitos do grupo de controle de cérebros normais). Assim sendo, pessoas que sofrem de DDA mostram muitos sintomas, como fraca supervisão interna, pequeno âmbito de atenção, distração, desorganização, hiperatividade (apesar de que só metade das pessoas com DDA sejam hiperativas), problemas de controle de impulso, dificuldade de aprender com erros passados, falta de previsão e adiamento.

O DDA tem sido de particular interesse para mim nos últimos 15 anos pois, dois dos meus três filhos têm essa síndrome. Eu digo às pessoas que entendo mais de DDA do que gostaria. Através de uma pesquisa feita com SPECT (tomografia computadorizada por emissão de fóton único) na minha clínica, com imagens cerebrais e trabalho genético feito por outras, descobrimos que o DDA é basicamente uma disfunção geneticamente herdada do córtex pré-frontal, devido, em parte, a uma deficiência do neurotransmissor dopamina.

Aqui estão algumas das características comuns do DDA, que claramente ligam essa doença ao córtex pré-frontal.

Hiperatividade - imagem do cérebro, orientando a posição do córtex pré-frontal

Quanto mais você tenta, pior fica

A pesquisa mostrou que quanto mais as pessoas que têm DDA tentam se concentrar, pior para elas. A atividade no córtex pré-frontal, na verdade, desliga, ao invés de ligar. Quando um pai, professor, supervisor ou gerente põe mais pressão na pessoa que tem DDA, para que ela melhore seu desempenho, ela se torna menos eficiente. Muitas vezes, quando isso acontece, o pai, o professor ou chefe interpretam o ocorrido como um decréscimo de performance, ou má conduta proposital, e daí surgem problemas sérios. Um homem com DDA de quem eu tratei disse-me que sempre que seu chefe o pressionava para que fizesse um trabalho melhor, seu desempenho piorava muito, ainda que estivesse tentando melhorar. A verdade é que quase todos nós nos saímos melhor com elogios. Eu descobri que isso é essencial para pessoas com DDA. Quando o chefe as estimula a fazer melhor de modo positivo, elas se tornam mais produtivas. Quando se é pai, professor ou supervisor de alguém com DDA, funciona muito mais usar elogio e estímulo do que pressão. Pessoas com DDA saem-se melhor em ambientes que sejam altamente interessantes ou estimulantes e relativamente tranqüilos.

Pequeno âmbito de atenção

Um âmbito de atenção pequeno é a identificação desse distúrbio. Pessoas que sofrem de DDA têm dificuldade de manter a atenção e o esforço durante períodos de tempo prolongados. Sua atenção tende a vagar e freqüentemente se desligam da tarefa, pensando ou fazendo coisas diferentes da tarefa a ser realizada. Ainda assim, uma das coisas que muitas vezes enganam clínicos inexperientes ao tratar desse distúrbio é que as pessoas com DD...

Clique aqui para ler este artigo em Orientações Médicas