Orientações Médicas

Clínicas de Recuperação Vitória da Conquista, Bahia

Clínicas de recuperação em Vitória da Conquista. Conheça estabelecimentos do segmento em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes.

Almeida, Odilza L
(77) 3424-2867
av Otávio Santos, 395 s 104, Recreio
Vitória da Conquista, Bahia

Dados Divulgados por
Clínica Psiqué
(77) 3422-2305
av S Geraldo, 670, Alto Maron
Vitória da Conquista, Bahia

Dados Divulgados por
Instituto do Cérebro
(77) 3424-7095
av Otávio Santos, 381 s 504, Recreio
Vitória da Conquista, Bahia

Dados Divulgados por
Centro Ocupacional Psicopedagógico Ltda
(71) 3357-5970
r Machado de Assis, 27, Brotas
Salvador, Bahia

Dados Divulgados por
Zenilda Fonseca de Jesus
(75) 3614-1541
av Getúlio Vargas, 785 lj 6, Centro
Feira de Santana, Bahia

Dados Divulgados por
Barros, Monalisa N S
(77) 3421-2722
pça Vítor Brito, 12 s 310, Recreio
Vitória da Conquista, Bahia

Dados Divulgados por
Clínica Especializada Garcia Reis
(77) 3424-3196
r Guilhermino Novais, 42 an 3 sl 305, Conquistinha
Vitória da Conquista, Bahia

Dados Divulgados por
Consultoria de Psicologia e Psicopedagogia
(77) 3084-2923
av Otávio Santos, 381 sl 306, Recreio
Vitória da Conquista, Bahia

Dados Divulgados por
Virginia Falcao
(75) 3223-0508
r Boticário Moncorvo, 790, Centro
Feira de Santana, Bahia

Dados Divulgados por
Barros, Monalisa N S
(77) 3421-2722
pça Vítor Brito, 12 s 310, Recreio
Vitória da Conquista, Bahia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Consumo de bebidas alcoólicas: doença ou diversão?

Fornecido por:

Se prevenir é o melhor remédio, você já parou para pensar a quantas anda o seu consumo atual de bebida alcoólica?

Como será que o chopinho consumido no fim de semana ou a taça de vinho de todos os dias está contribuindo para a sua saúde?

Sabe-se que o alcoolismo é hoje um problema de saúde pública, o fato é que toda a responsabilidade sempre foi colocada sobre aquele que chamamos de dependente do álcool. Aquele sujeito que aos olhos da sociedade já está doente, que tem difícil recuperação, que muitas vezes é mal julgado moralmente. Porém, este conceito está cada vez mais ultrapassado.

Pesquisas têm demonstrado que para o dependente já existem perspectivas de tratamento desde que ele e sua família resolvam assumir a doença e seu tratamento.

Este texto visa refletir sobre a ponta submersa do iceberg, aquelas pessoas que consomem bebidas alcoólicas despreocupadamente, mas que podem potencialmente vir a serem prejudicadas se este consumo não for controlado.

Álcool, doenças, acidentes e violência:

Pesquisas indicam que o consumo de álcool está ligado a incêndios, afogamentos, acidentes de trânsito, acidentes de trabalho (operação de máquinas), suicídios, quedas, acidentes com barcos, jet-ski, assaltos, brigas, violência doméstica e contra crianças, estupro, comportamento agressivo, nervosismo, resfriados, risco elevado de pneumonia, doenças do fígado (cirrose), pancreatite, tremor nas mãos, dormências, perda de memória, envelhecimento precoce, câncer de boca e faringe, insuficiência cardíaca, anemia, câncer de mama, úlcera gástrica, gastrite, hemorragia digestiva, deficiência de vitaminas, diarréia, má nutrição, disfunção erétil, risco de má formação do feto em gestantes e nascimento de filhos com retardo mental.

Assim, o consumo de bebidas alcoólicas de alto risco além de reduzir o tempo de vida da pessoa, de consumir sua qualidade de vida também pode produzir acidentes ou incidentes com lesões graves e morte!

As bebidas são diferentes umas das outras.

Você sabe qual a quantidade de álcool nos diferentes tipos de bebidas?

Você sabe o que é uma dose padrão?

    • 1 tulipa de chope = 350 ml = 12 g de álcool
    • 1 taça de vinho = 140 ml = 12 g de álcool
    • 1 dose de pinga, conhaque, uísque, etc = 40 ml = 12 g de álcool

Conclui-se que em doses normais essas bebidas contem aproximadamente a mesma quantidade de álcool puro.

A dose limite de baixo risco estabelecida é:

  • Homem adulto com boa saúde 2 doses por dia ou 3 doses uma vez na semana;
  • Mulher adulta com boa saúde e não grávida 1 dose por dia ou 2 doses uma vez na semana;
  • Homem idoso saudável 1 dose por dia ou duas doses uma vez na semana.

Não se deve beber quando:

  • Estiver dirigindo veículos ou operando máquinas;
  • Durante a gravidez e a amamentação;
  • Estiver cuidando de crianças;
  • Estiver sob uso de determinados medicamentos (seu médico deve orientar);
  • Em...

Clique aqui para ler este artigo em Orientações Médicas