Orientações Médicas

Consultório de Endocrinologistas Jundiaí, São Paulo

Consultório de endocrinologia em Jundiaí. Conheça especialistas em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes.

Marcos Bitencourt Prata
Av. Antonio Segre 295 - 4º Andar. Sl 43
Jundiai, São Paulo
Especialidade
Endocrinologia

Dados Divulgados por
Jose Carlos Bellini Peterson
(11) 4586-4431
Rua Fernando Carlos Orsini de Castro 128
Jundiai, São Paulo
Especialidade
Endocrinologia

Dados Divulgados por
Jose Paternostro Jr
Av. Ana Costa 254 - 9º Andar
Santos, São Paulo
Especialidade
Endocrinologia

Dados Divulgados por
Lucy Mara Gomes Valente
(11) 6408-8015
Rua Santo Antonio 43 - 4And Sl 416
Guarulhos, São Paulo
Especialidade
Endocrinologia

Dados Divulgados por
Ligia Parreira Duarte
(19) 3524-4241
R 12 648
Rio Claro, São Paulo
Especialidade
Endocrinologia

Dados Divulgados por
Fábio Luis Fujita
(11) 4497-0652
Rua São Lázaro 15
Jundiai, São Paulo
Especialidade
Endocrinologia

Dados Divulgados por
Jose Carlos Belini Peterson
Rua Onze de Junho 158
Jundiai, São Paulo
Especialidade
Endocrinologia

Dados Divulgados por
Maria Valeria Pavan
(11) 3233-5062
Rua Jose Maria Hannickel 150 - Sala 51
Sorocaba, São Paulo
Especialidade
Endocrinologia

Dados Divulgados por
Andreza Vargas da Silva
(17) 3322-9592
Avenida 23 1221 - Sala 15
Barretos, São Paulo
Especialidade
Endocrinologia

Dados Divulgados por
Adolfo Jose Machado Dias
(18) 3322-4477
Rua Angelo Bertoncini 244
Assis, São Paulo
Especialidade
Endocrinologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Colesterol, Dicas alimentares, Sintomas de prostatismo .::. Em respostas selecionadas da Dra. Sonia

Fornecido por:

Colesterol
Dicas alimentares
Sintomas de prostatismo

Clique nos título dos temas acima,
ou use a barra de rolagem do navegador.
Você pode usar a pesquisa para outros temas.

Os textos são breves e objetivos.

Colesterol

O colesterol é um tipo de gordura produzida pelos tecidos orgânicos do nosso corpo, em especial o fígado, e é transportado no sangue por "pacotes" chamados lipoproteínas. Há o "pacote" HDL - lipoproteína de alta densidade - conhecido como bom colesterol, por remover a gordura da corrente sangüínea e há o LDL - lipoproteína de baixa densidade - conhecido como mau colesterol, por distribuir a gordura por todo o organismo. É justamente esta fração que está elevada quando se diz que uma pessoa tem colesterol alto. O colesterol pode ser prejudicial por três motivos: devido a sua quantidade no sangue, devido a problemas nas proteínas específicas que o transportam ou, ainda, devido a alguns transtornos nos receptores celulares que facilitam o seu metabolismo. Se a gordura sobrar na circulação, irá ficar depositada nas artérias, que com o tempo, poderão entupir. Se isso ocorrer numa artéria do coração, a pessoa terá um infarto do miocárdio, se for no cérebro, terá um derrame. Existe uma predisposição hereditária para o colesterol alto. Além disso, a obesidade, sedentarismo, alimentação rica em gorduras saturadas e pobre em gorduras poliinsaturadas (óleos vegetais) e fibras também contribuem para a elevação do colesterol. Quem tem baixa concentração de hormônios tireóide, ou diabetes não controlada também tem propensão a colesterol alto. A concentração ideal de colesterol total é por volta de 140 miligramas por decilitro, mas até 225 é considerado um valor normal. Além do colesterol total, é muito importante analisar a taxa dos dois tipos de colesterol. O valor do HDL (colesterol bom) por sua vez deve apresentar taxa superior a 40 miligramas por decilitro, e o LDL (colesterol ruim) deve ter uma taxa inferior a 130. Através de exame de sangue pode-se identificar os níveis de colesterol total e das frações LDL e HDL, além de taxas correlacionadas como LDL/HDL e colesterol total/ HDL. O que fazer? 1. Atividade física regular: você não precisa se exercitar todos os dias, o importante é que mantenha sempre a mesma freqüência. Estudos mais recentes demonstram que as pessoas se sentem mais felizes quando estão praticando uma atividade que elas gostam. Se você não é adepto à caminhada, existem muitas outras alternativas, como a dança, a hidroginástica, etc. O importante é que você sinta prazer naquilo que está fazendo, para que consiga manter uma freqüência. 2. Dieta adequada com alimentos ricos em fibras e pectina (cereais integrais, frutas e verduras) e óleos insaturados (oliva e canola). Existem hoje no mercado diversos produtos naturais, como a soja, que está comprovado cientificamente que previne e cura diversas doenças. 3. Evite principalmente o consumo de ovos, gordura animal, manteiga e out...

Clique aqui para ler este artigo em Orientações Médicas