Orientações Médicas

Especialista em Tratamento de Lupus Fortaleza, Ceará

Tratamento de lúpus em Fortaleza. Conheça especialistas em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes.

Ruth Helena Oliveira Menezes
R Jaime Calado 73
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Dermatologia

Dados Divulgados por
Raimundo Gilmario e Bezerra
3224-9925
Rua Pereira Filgueiras 1931
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Dermatologia

Dados Divulgados por
Suzana Clara Furlani Cabral
(85) 3227-6637
Av.Pontes Vieira 2535 - Fone-085-3091.67.23
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Dermatologia

Dados Divulgados por
Silvana Oliveira
(85) 3243-2632
Rua Professor Nogueira 250
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Dermatologia

Dados Divulgados por
Maika Adriana Dione Casagrande
(85) 3257-6572
Tibúrcio Cavalcante 2710
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Dermatologia

Dados Divulgados por
Renato Valim Campos
(85) 3261-5004
Rua Des. Leite Albuquerque 635 - Salas 1001 e 1005
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Dermatologia

Dados Divulgados por
Tania Maria Poti Sales
3261-1685
Av. Dom Luiz 176 - Aldeota
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Dermatologia

Dados Divulgados por
Zelia Cardoso de O Cavalcante
3264-4576
Av Padre Antonio Tomas 2073
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Dermatologia

Dados Divulgados por
Telma Maria Rabelo Gondim
3253-6945
R Dona Leopoldina 580
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Dermatologia

Dados Divulgados por
Sunny Martins Carvalho
3248-7804
Av Dom Luis 1233
Fortaleza, Ceará
Especialidade
Dermatologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Lupus Eritematoso Sistêmico .::. Orientações Médicas

Fornecido por:

 

Lúpus Eritematoso Sistêmico é uma doença inflamatória de causa desconhecida. Para que se desencadeie a doença, agentes externos desconhecidos (vírus, bactérias, agentes químicos, radiação ultravioleta) entram em contato com o sistema imune de um indivíduo que está com vários genes erradamente induzindo produção inadequada de anticorpos.

Estes anticorpos são dirigidos contra constituintes normais (auto-anticorpos) provocando lesões nos tecidos e também alterações nas células sangüíneas.

É uma doença razoavelmente comum no consultório dos reumatologistas. Melhor conhecimento médico e avanço em métodos diagnósticos devem ser os motivos pelos quais o Lúpus Eritematoso Sistêmico tem sido diagnosticado com mais freqüência e seu prognóstico é muito melhor do que há 15 anos atrás.

Atinge principalmente mulheres (9:1) em idade reprodutiva, iniciando-se mais comumente entre 20 e 40 anos.

Pode ser bastante benigno até extremamente grave e fatal. As manifestações clínicas são muito variáveis entre os pacientes.

As queixas gerais mais freqüentes são mal-estar, febre, fadiga, emagrecimento e falta de apetite, as quais podem anteceder outras alterações por semanas ou meses. Os pacientes já poderão estar sentindo dor articular ou muscular leve e apresentando manchas vermelhas na pele que passam por urticária. As alterações mais freqüentes ocorrem na pele e articulações.

Há muitos tipos de lesão cutânea no Lúpus Eritematoso Sistêmico. A mais conhecida é a lesão em asa de borboleta que é um eritema elevado atingindo bochechas e dorso do nariz. Manchas eritematosas planas ou elevadas podem aparecer em qualquer parte do corpo.

Muitos pacientes com Lúpus Eritematoso Sistêmico têm sensibilidade ao sol (foto-sensibilidade). Assim, estas manchas podem ser proeminentes ou unicamente localizadas em áreas expostas à luz solar. Outras vezes, as lesões são mais profundas e deixam cicatriz (lúpus discóide). Começam com uma escamação sobre a mancha eritematosa. Com o passar do tempo a zona central atrofia e a pele perde a cor, ficando uma cicatriz que pode ser bastante desagradável. Há casos de lúpus discóide em que nunca haverá outros problemas, isto é, não haverá lúpus sistêmico. Estes pacientes devem ser seguidos com atenção, pois não há como acompanhar a evolução sem exame físico e laboratorial.

Queda de cabe...

Clique aqui para ler este artigo em Orientações Médicas