Orientações Médicas

Hospital do Câncer Campinas, São Paulo

Hospital do câncer em Campinas. Conheça profissionais em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes.

Patricia
(19) 3753-4100
Av Heitor Penteado 1780
Campinas, São Paulo
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Juvenal Antunes de Oliveira Filho
(19) 3213-4444
Rua Padre Joaquim Gomes 149
Campinas, São Paulo
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Carlos Emilio Guimaraes Medeiros
(19) 3243-5917
R Dona Rosa de Gusmão 686
Campinas, São Paulo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Vlamir Aparecido Sampaio Fiorentini
Rua Regente Feijo 712 - Sl.74
Campinas, São Paulo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Marcos Ferreira de Carvalho
Rua Conceicao 233 - Sl.515
Campinas, São Paulo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Luiz Carlos Teixeira
Rua Antonio Lapa 617
Campinas, São Paulo
Especialidade
Cancerologia

Dados Divulgados por
Martha Maria do Carmo Bandicioli
(19) 3253-1222
Jose Bonifacio 2090
Campinas, São Paulo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Cristina Maria de Oliveira
(19) 3233-5835
R Conceicao 233 - 3 Andarsl. 315
Campinas, São Paulo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Aristoteles de Souza Barbeiro
(19) 3237-2005
Av.Francisco Glicerio 1867 - 10ºa Conj.101
Campinas, São Paulo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Mirian Matos Alexandre
Rua Buarque de Macedo 209
Campinas, São Paulo
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

O que o tabagismo pode causar? Apague o cigarro em Orientações Médicas

Fornecido por:


Doenças associadas ao uso dos derivados do tabaco:

  • impotência sexual no homem;
  • complicações na gravidez;
  • aneurismas arteriais;
  • úlcera do aparelho digestivo;
  • infecções respiratórias;
  • trombose vascular.
  • As doenças cardiovasculares e o câncer são as principais causas de morte por doença no Brasil, sendo que o câncer de pulmão é a primeira causa de morte por câncer. As estimativas sobre a incidência e mortalidade por câncer no Brasil, publicadas anualmente pelo INCA indicam que, em 2003, 22.085 pessoas deverão adoecer de câncer de pulmão (15.165 entre homens e 6.920 entre mulheres) causando cerca de 16.230 mortes. Desse total de óbitos, 11.315 deverão ocorrer entre os homens e 4.915 entre mulheres.

    Porém, ao parar de fumar, o risco de ter essas doenças vai diminuindo gradativamente e o organismo do ex-fumante vai se restabelecendo.

    Tabagismo passivo

fumante passivo também morre

Define-se tabagismo passivo como a poluição decorrente da fumaça de derivados do tabaco (cigarro, charuto, cigarrilhas, cachimbo e outros produtores de fumaça) por indivíduos não-fumantes, que convivem com fumantes em ambientes fechados. A fumaça dos derivados do tabaco em ambientes fechados é denominada de poluição tabagística ambiental (PTA).

E, segundo a Organização Mundial de Saúde (OMS), é a maior em ambientes fechados e o tabagismo passivo, a 3ª maior causa de morte evitável no mundo, subseqüente ao tabagismo ativo e ao consumo excessivo de álcool (IARC, 1987; Surgeon General, 1986; Glantz, 1995).

O ar poluído contém, em média, três vezes mais nicotina, três vezes mais monóxido de carbono, e até cinqüenta vezes mais substâncias cancerígenas do que a fumaça que entra pela boca do fumante depois de passar pelo filtro do cigarro.

A absorção da fumaça do cigarro por aqueles que convivem em ambientes fechados com fumantes causa:

1 - Em adultos não-fumantes:

  • Maior risco de doença por causa do tabagismo, proporcionalmente ao tempo de exposição à fumaça;

  • Um risco 30% maior de câncer de pulmão e 24% maior de infarto do coração do que os não-fumantes que não se expõem.

2 - Em crianças:

  • Maior freqüência de resfriados e infecções do ouvido médio;

  • Risco maior de doenças respiratórias como pneumonia, bronquites e exacerbação da asma.

3 - Em bebês:

  • Um risco 5 vezes maior de morrerem subitamente sem uma causa aparente (Síndrome da Morte Súbita Infantil);

  • Maior risco de doenças pulmonares até 1 ano de idade, proporcionalmente ao número de fumantes em casa.

Fumantes passivos também sofrem os efeitos imediatos da poluição tabagística ambiental, tais como, irritação nos olhos, manifestações nasais, tosse, cefaléia, aumento de problemas alérgicos, principalmente das vias respiratórias e aumento dos problemas cardíacos, principalmente elevação da pressão arterial e angina (dor no peito). Outros efeitos a médio e longo prazo são a redução da capacidade fu...

Clique aqui para ler este artigo em Orientações Médicas