Orientações Médicas

Reumatologista Santa Cruz do Sul, Rio Grande do Sul

Reumatologistas em Santa Cruz do Sul. Conheça profissionais em sua região, aproveite e leia nossos artigos com tutoriais, dicas e informações relevantes.

Gilberto Gonçalves
(51) 3056-2265
Marechal Deodoro 106 - 301
Santa Cruz Do Sul, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Vanessa Grundling
(51) 9145-8453
Borges de Medeiros 1178
Santa Cruz Do Sul, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Paulo Roberto Juca
(51) 3711-2900
R Julio de Castilhos 33
Santa Cruz Do Sul, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Raquel Zatti Faccioni
(51) 3230-2640
Costa 30 - 704
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Reumatologia

Dados Divulgados por
Therezinha Marly Cotrim Roussenq
(51) 3224-6734
R Andradasdos 1273 - Sl. 401
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Reumatologia

Dados Divulgados por
Homero Neto de Cunha e Agra
(51) 3715-1039
Marechal Deodoro 1015 - 405
Santa Cruz Do Sul, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Jaime Lasevitz
(51) 3715-6664
Borges de Medeiros 534 - 203
Santa Cruz Do Sul, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Edegard Solon de Pontes
(51) 3713-2491
R Ernesto Alves 1220
Santa Cruz Do Sul, Rio Grande do Sul
Especialidade
Clínica Médica

Dados Divulgados por
Claiton Brenol
(51) 3342-9748
Rua 24 de outubro 1312 (conj. 202 e 204)
Porto Alegre, Rio Grande do Sul
Especialidade
Reumatologia

Dados Divulgados por
Jose Ramom Caballero Vitancourt
553-2215
R Marechal Floriano Peixoto 1124 - Sl. 804
Santa Maria, Rio Grande do Sul
Especialidade
Reumatologia

Dados Divulgados por
Dados Divulgados por

Fibromialgia .::. Em respostas selecionadas da Dra. Sonia

Fornecido por:


 

O termo fibromialgia refere-se a uma condição dolorosa generalizada e crônica. É considerada uma síndrome porque engloba uma série de manifestações clínicas como dor, fadiga, indisposição, distúrbios do sono. No passado, pessoas que apresentavam dor generalizada e uma série de queixas mal definidas não eram levadas muito a sério. Por vezes problemas emocionais eram considerados como fator determinante desse quadro ou então um diagnóstico nebuloso de "fibrosite" era estabelecido. Isso porque se acreditava que houvesse o envolvimento de um processo inflamatório muscular, daí a terminação "ite". Atualmente sabe-se que a fibromialgia é uma forma de reumatismo associada à da sensibilidade do indivíduo frente a um estímulo doloroso. O termo reumatismo pode ser justificado pelo fato de a fibromialgia envolver músculos, tendões e ligamentos. O que não quer dizer que acarrete deformidade física ou outros tipos de seqüela. No entanto a fibromialgia pode prejudicar a qualidade de vida e o desempenho profissional, motivos que plenamente justificam que o paciente seja levado a sério em suas queixas. Como não existem exames complementares que por si só confirmem o diagnóstico, a experiência clínica do profissional que avalia o paciente com fibromialgia é fundamental para o sucesso do tratamento. A partir da década de 80 pesquisadores do mundo inteiro têm se interessado pela fibromialgia. Vários estudos foram publicados, inclusive critérios que auxiliam no diagnóstico dessa síndrome, diferenciando-a de outras condições que acarretem dor muscular ou óssea. Esses critérios valorizam a questão da dor generalizada por um período maior que três meses e a presença de pontos dolorosos padronizados. Diferentes fatores, isolados ou combinados, podem favorecer as manifestações da fibromialgia, dentre eles doenças graves, traumas emocionais ou físicos e mudanças hormonais. Assim sendo, uma infecção, um episódio de gripe ou um acidente de carro, podem estimular o aparecimento dessa síndrome. Por outro lado, os sintomas de fibromialgia podem provocar alterações no humor e diminuição da atividade física, o que agrava a condição de dor. Pesquisas têm também procurado o papel de certos hormônios ou produtos químicos orgânicos que possam influenciar na manifestação da dor, no sono e no humor. Muito se tem estudado sobre o envolvimento na fibromialgia de hormônios e de substâncias que participam da transmissão da dor. Essas pesquisas podem resultar em um melhor entendimento dessa síndrome e, portanto proporcionar um tratamento mais efetivo e até mesmo a sua prevenção. A fibromialgia não deve ser encarada como uma doença que necessita de tratamento, mas sim como uma condição clínica que requer controle. Isso porque, na pessoa predisposta, suas manifestações ocorrem ao longo da vida, na dependência de uma gama de fatores físicos e emocionais. Nesse contexto, as manifestações devem ser tratadas na direta proporção de sua gravidade. De uma...

Clique aqui para ler este artigo em Orientações Médicas